A hora de partir, a hora de crescer

You can see that your home’s inside of you — Jason Mraz

Crescemos ao lado de nossos pais ou responsáveis. Crescemos para que um dia, possamos caminhar com nossas próprias pernas. Como diz o ditado: “Os pais criam os filhos para o mundo“.

Um dia você vai sair de casa. E essa saída pode se dar de várias maneiras: através de uma grande briga, ou de uma decisão própria ou porque simplesmente não existe mais ninguém que te prenda aquele lugar. Um dia você deverá partir. Para onde? Bem… essa é uma pergunta interessante. Para onde ir?

A total independência é um pouco assustadora. Ser responsável por você mesmo. Viver sozinho. Ser você por você. Mas ao mesmo tempo, é excitante. Afinal, o que será que a vida terá para te oferecer? O mundo é imenso e nele existem infinitas possibilidades. Gosto dessa palavra: possibilidades.

1 aquilo que pode acontecer; 2 capacidade, ato de poder fazer algo

Honestamente, eu não parei para pensar para onde vou. Mas sei que o dia de partir está próximo. E a proximidade deste momento é um pouco intimidador para mim. Porque eu sinto que quando eu partir, parte de mim vai ficar aqui. Nós criamos raízes… E é difícil simplesmente arrancar tudo e ir embora.

Invejo as pessoas que sabem exatamente o que querem, para onde vão e o que vão fazer. Elas sabem quem querem ser. Já eu… tenho tantos planos tortos para a minha vida. Com nenhuma certeza. Nenhuma segurança. Nada. Só planos.

Mas me sinto desafiada. Desafiada a provar a minha capacidade individual de vencer. Porque vamos combinar… Ôh vida difícil essa! Nada é previsível. Por exemplo: você acha que está tudo bem. Que finalmente tudo está “ok” e ai, algo acontece e bagunça tudo. Conclusão? Você acaba não sabendo de mais nada. Só que a sua vida está bagunçada. De novo.

Porém, vamos concordar quê: se tudo fosse previsível, a vida seria extremamente tediosa. E outra coisa: sempre vai ser assim. Sempre iremos estar cercados de incertezas. Mas colocando isso de uma forma positiva: estaremos sempre cercados de possibilidades.

Tenho essa vontade avassaladora de conhecer o mundo. Quero viajar, conhecer novas pessoas, novas culturas e sair dessa redoma de cristal em que vivo. Quero me preparar para o mundo, porque um dia a redoma quebra e eu vou ficar desesperada. Ninguém te entrega um manual de instruções de: “como viver a sua vida”, “como se virar”, “como acertar nas suas escolhas”, “como ser dona do seu nariz”. Ninguém te ensina. A vida te ensina.

Uma certeza absoluta é que independente do lugar em que eu estiver, aquilo que eu chamo de casa, de lar, sempre vai estar comigo. Sempre. E provavelmente, cada lugar que eu passar, irei deixar uma parte de mim.

Deixo vocês com essa belíssima música do Jason Mraz, que reflete sobre tudo o que eu coloquei no texto de hoje. (confira a tradução)

♫ He told me, son sometimes it may seem dark
But the absence of the light is a necessary part
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s