Muito drama para pouca importância

Sempre fui do tipo de pessoa que se agarra a uma causa. Me importo com tudo e todos de forma absoluta. E esse sempre foi um dos meus melhores e piores defeitos. Pois quando você se importa demasiadamente, você sempre se machuca mais que os outros.

Meu lado dramático sempre foi forte. Por vezes há quem diga que eu estudei na Escola das Artes Dramáticas.

Sabe aquela situação em que você deveria deixar pra lá? Mas não deixa? Que você fica remoendo repetidas vezes, sem parar e que ainda vai procurar por coisas que te façam ficar pior? Sou gra-du-a-da nisso.

As vezes me acho masoquista. Porque ao invés de tentar não pensar naquilo que me incomoda, eu fico ali. Repassando tudo. Nutrindo um ódio, uma mágoa e um remorso pela situação. Choro de raiva e ainda fico me torturando com informações que eu poderia não ir atrás. Por sinal, sou uma verdadeira mestre em persuadir pessoas quando quero saber algo que elas não deveriam me contar. E não, não tenho orgulho disso. Eu deveria usar isso para algo melhor, admito.

Eu atribuo peso demais a situações. Me preocupando e alimentando receios que crio — desnecessariamente — na minha cabeça. Meus medos são tão grandes que entro em certo desespero quando me vejo diante de algo que não tenho controle. Esse medo de perder algo te deixa meio louco.

Gasto tempo e energia me preocupando com coisas que nem deveriam ser motivos para tamanha revolução. Situações pequenas acabam tomando proporções exageradas e quando dou por mim, a confusão tá feita e a merda não pode ser desfeita.

Por vezes eu perdi aquela oportunidade de ficar na minha. Não consigo ficar calada quando me sinto injustiçada. Não consigo segurar a língua quando apontam para me acusar quando eu não estou errada. E muito menos sei me calar quando as pessoas bancam as vítimas e só sabem dizer que a errada sou eu. Agrh!

Mas sabe, por muitas vezes — e aprendi isso da pior maneira possível — eu deveria ter me calado. Eu deveria ter mordido a língua para não dizer absolutamente nada. Eu teria ganho muito mais — ou perdido muito menos — se eu tivesse resguardado toda a minha insatisfação e mágoa somente para mim.

As vezes que tentei agir na sinceridade acabei piorando tudo. Nem sempre as pessoas estão preparadas para ouvir certas verdades e ai, você é quem sai pagando de vilão da história ou como o ingrato. E na verdade, aquilo que poderia ter ficado apenas “naquilo”, fica pior ainda — porque sim, tudo tem como piorar, não duvide disso — quando você resolve ser sincero e falar o que pensa.

As vezes temos que engolir certos sapos para evitar piorar aquilo que já está péssimo. Cultivar um o desapego é ideal também. O que tiver de ser vai ser e se você perder algo no final das contas, então… É porque não era tão importante.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s